Programação

Programação Preliminar CBEB 2020



Palestrantes

(Obs.: não haverá serviço de tradução para as palestras ministradas em inglês)

Em breve .....
Em breve .....
Em breve .....
Em breve .....
Em breve .....
Em breve .....
Em breve .....

Minicursos

Avaliação da conformidade é comparar resultados de medição com requisitos. Em pesquisa, comparar resultados é avaliar a conformidade. Nas atividades profissionais de um engenheiro biomédico, particularmente atuando em engenharia clínica ou no desenvolvimento de produtos ou melhoria de processos, é necessário saber como avaliar o risco na avaliação da conformidade, a fim de entregar bons resultados para o cliente. Este minicurso oferecerá ferramentas para que esta importante atividade seja realizada de maneira adequada.

Objetivos: 1. Apresentar os fundamentos da Análise de riscos na avaliação da conformidade, relacionando seus conceitos às atividades profissionais dos Engenheiros Biomédicos, incluindo a Certificação de Equipamentos Eletromédicos e Engenharia Clínica.

Ementa:
1. Fundamentos da Tecnologia Industrial Básica (TIB): Metrologia, Avaliação da Conformidade, Propriedade Intelectual, Normalização Técnica e Gestão Tecnológica.
2. Cálculo de incerteza de medição e sua aplicação.
3. Análise de risco na avaliação da conformidade.
4. Requisitos de Avaliação da Conformidade (RAC) do Inmetro para Equipamentos sob Regime de Vigilância Sanitária. Portaria no 54/2016. Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) da Anvisa no 27/2011. Instrução Normativa (IN) da Anvisa no 04/2015. Série de Normas Técnicas IEC 60601 e ISO/IEC 80601.

Este Minicurso pretende trazer uma visão sistêmica da importância da Economia em Saúde e a consolidação da essencialidade do profissional da Engenharia Biomédica/Engenharia Clínica no ambiente hospitalar.

Objetivos: Fundamentos de Avaliação Econômica em Saúde, Impacto orçamentário, custos diretos, indiretos e intangíveis, razão de custo-efetividade incremental com a implantação do setor de Engenharia Clínica, e como o setor pode contribuir com os desfechos econômicos em saúde no ambiente hospitalar. Este Minicurso irá abordar como as práticas de gestão da engenharia clínica podem contribuir na geração de evidências de mundo real (RWE) para as tomadas de decisão às quais a avaliação de tecnologias em saúde se propõe a gerar subsídios normalmente pautados em estudos clínicos e avaliações econômicas. O curso também irá abordar as principais diferenças e aspectos relevantes na avaliação de dispositivos médicos em contraponto à área de medicamentos à qual a grande maioria das diretrizes e guias de ATS foram concebidos. O curso será fundamentado nos principais guidelines da INAHTA (International Network of Agencies Health Technology Assessment); toolkit da IFMBE (International Federation of Medical and Biomedical Engineering) e revisão da literatura sobre publicações relacionadas à ATS em Dispositivos Médicos.

O objetivo deste Minicurso é mostrar como os pesquisadores podem planejar e construir suas pesquisas em formatos que possam ser implementados na prática, e também ter conhecimento do caminho que o mercado privado e o SUS estão tomando com relação à informática em saúde.

Este Minicurso abordará tópicos de pesquisa e desenvolvimento de sistemas de inteligência artificial escaláveis: machine learning engineering, treinamento em nuvem. Introdução às ferramentas de IA do Google Cloud. Básico de SUS e prevenção quaternária. Técnicas avançadas de aprendizado de máquina: Transfer Learning, Generative Adversarial Networks. Problemas práticos de implementação de modelos de IA na saúde. Detecção de patologias em exames médicos. Tópicos de interoperabilidade na informática em saúde: FHIR, SNOMED.

Compreendendo como a Engenharia Clínica possui potenciais interações com as melhores práticas em ATS no mundo, além de observar as principais particularidades aplicáveis a dispositivos médicos e o fluxo de incorporação tecnológica no país, será mais fácil para pesquisadores e profissionais da área da engenharia biomédica orientarem seus trabalhos para um contexto bastante realístico, aumentando a chance de bons resultados e benefícios concretos para a sociedade. Este Minicurso irá abordar como as práticas de gestão da engenharia clínica podem contribuir na geração de evidências de mundo real (RWE) para as tomadas de decisão às quais a avaliação de tecnologias em saúde se propõe a gerar subsídios normalmente pautados em estudos clínicos e avaliações econômicas.

O curso também irá abordar as principais diferenças e aspectos relevantes na avaliação de dispositivos médicos em contraponto à área de medicamentos à qual a grande maioria das diretrizes e guias de ATS foram concebidos.
O curso será fundamentado nos principais guidelines da INAHTA (International Network of Agencies Health Technology Assessment); toolkit da IFMBE (International Federation of Medical and Biomedical Engineering) e revisão da literatura sobre publicações relacionadas à ATS em Dispositivos Médicos.

A compreensão dos componentes fundamentais no relato de um experimento científico é fundamental, tanto para o cumprimento de exigências relativas à formação de um aluno, quanto à comunicação e desenvolvimento de qualquer profissional conectado à vida acadêmica. Ao mesmo tempo, nota-se uma grande demanda, por parte de nossos alunos, para a obtenção de conhecimento formalizado sobre procedimentos de escrita e submissão de artigos científicos, visto que os mesmos nem sempre são oferecidos por seus Programas.

Este Minicurso, destinado a alunos de iniciação científica, pós-graduação e pós-doutorandos em fase de planejamento ou de escrita efetiva de trabalhos científicos, possui como objetivo capacitar o aluno a completar suas tarefas de escrita. Para isso, ênfase especial será dada aos seguintes tópicos: Identificação de fontes de informação confiáveis para o embasamento de um trabalho; Estruturação do texto na forma padrão de um artigo científico; Compreensão das características principais das seções básicas de um artigo (Título, resumo, palavras-chaves, introdução, materiais e métodos, resultados, discussão e conclusão); Realização adequada de citações e referenciações; Discussão dos conceitos fundamentais da ética da escrita científica (plágio, relato fidedigno, critérios de autoria e conflitos de interesse); Discussão dos procedimentos formais do processo de submissão de um trabalho científico.

Ementa: Fontes de informação confiável para trabalhos científicos: SciELO, PubMed, Google Scholar, WoS e outros repositórios de trabalhos científicos; Características dos leitores: difusão científica. A estrutura de um trabalho científico: o Método IMRAD; Revisões da literatura e revisões sistemáticas; Ética na escrita do trabalho científico: plágio, retratação, critérios de autoria, relato fidedigno e conflitos de interesse; O processo de submissão e aceitação do trabalho científico: seleção de revistas. Resposta a revisores. Pré-requisitos: Não há.

Os filmes finos são uma das categorias de biomateriais mais estudada e discutida devido as suas bem-sucedidas aplicações, especialmente em implantes ortopédicos, dentários e cardiovasculares. Este Minicurso fornecerá aos participantes uma visão geral sobre os fundamentos e a evolução da tecnologia de filmes finos e como essa tecnologia tem contribuído para avanços no desenvolvimento de novos dispositivos e procedimentos médicos. O minicurso será uma oportunidade para os estudantes conhecerem o estágio atual e os desafios desta área multidisciplinar de pesquisa.

O objetivo deste Minicurso é apresentar uma visão geral sobre as propriedades, métodos de síntese e processamento dos principais tipos de filmes finos e revestimentos que vêm sendo estudados e empregados em diferentes aplicações biomédicas, tais como em implantes ortopédicos e dentários, próteses, curativos, esterilização de instrumentos cirúrgicos, biossensores, e na construção de dispositivos para liberação de fármacos. O minicurso abordará o seguinte conteúdo:

1. Propriedades desejadas para filmes finos utilizados em aplicações biomédicas;
2. Filmes finos biocompatíveis e com propriedades antibacterianas;
3. Principais métodos de deposição de filmes finos utilizados em aplicações biomédicas;
4. Caracterização de filmes finos para aplicações biomédicas;
5. Exemplos de diferentes aplicações biomédicas; 6. Estado da arte, perspectivas e desafios da tecnologia de filmes finos para aplicações biomédicas.

Este Minicurso tem o objetivo de apresentar as etapas metodológicas para o desenvolvimento de pesquisa com modelagem do sistema nervoso, interface homem-máquina, interface cérebro-máquina, neuromodulação, neurofeedback e tecnologias assistivas. Estas informações são importantes para formação do profissional que desenvolve pesquisas na área de engenharia biomédica para a recuperação de funções do sistema nervoso, seja desenvolvendo um processo ou uma nova tecnologia.

Restaurar funções do sistema nervoso ou a autonomia de pessoas com patologias ou deficiências é um grande desafio para profissionais e pesquisadores na área de engenharia biomédica. Por outro lado, desenvolver soluções para estas demandas envolve não apenas conhecimentos técnicos, mas também habilidades e atitudes do profissional. Para contribuir com a formação profissional e o planejamento metodológico, serão apresentadas neste Minicurso as etapas de desenvolvimento e pesquisa da modelagem do sistema neuromuscular, interface cérebro-máquina, interface homem-máquina, exoesqueleto, neuromodulação, neurofeedback e tecnologias assistivas.

Ressalta-se que o desenvolvimento de modelos do sistema neuromuscular permite simular e entender comportamentos motores com e sem patologias. Diversos métodos de processamento de sinais buscam extrair informações a partir de experimentos prévios e embasam modelos matemáticos de redes neurais e músculos, com o objetivo de melhorar o entendimento de mecanismos e fenômenos celulares e comportamentais, com e sem disfunção. Por outro lado, a observação e a compreensão de modelos da reorganização ou neuroplasticidade induzida pela disfunção ou pela reabilitação permite o desenvolvimento de novas terapias e tecnologias. De fato, nos últimos anos houve um grande crescimento na quantidade de pesquisas para recuperar funções do sistema nervoso com o desenvolvimento de interfaces conectando o cérebro, nervo e/ou músculo a neuropróteses ou exoesqueletos.

Objetivo detalhado
Visão geral do processo de uso de normas técnicas ABNT no desenvolvimento de processo de desenvolvimento de equipamentos médicos para atendimento de requisitos regulatórios.

Introdução
O uso de normas técnicas durante o processo de desenvolvimento de equipamentos médicos é essencial para o atendimento de requisitos regulatórios nacionais e internacionais. A falta de conhecimento, uso incorreto, ou aplicação tardia de normas técnicas no processo de desenvolvimento levam a perdas financeiras, atrasos no projeto, e alterações e correções nas fases de pós-projeto. Assim, é essencial conhecer e aplicar corretamente as normas técnicas no desenvolvimento de equipamentos médicos.

Ementa

  • Processo de criação/revisão de normas técnicas;
  • Hierarquias entre normas;
  • Como utilizar normas, e seus anexos e guias;
  • Uso de normas em conjunto com o processo de Gerenciamento de Risco e Desenvolvimento;
  • Recomendações no uso de normas durante Desenvolvimento.

Objetivo detalhado
Fornecer uma visão geral do processo de avaliação clínica, conforme definido pela futura norma brasileira sobre o assunto.

Introdução
O processo de avaliação clínica, onde se utiliza dados clínicos para se criar evidência clínicas e justificar a segurança e eficácia de dispositivo médicos, é cada vez mais importante no desenvolvimento e manutenção do ciclo de vida de dispositivos. Uma nova norma sobre o assunto, baseada na literatura e orientações atuais, está sendo desenvolvida na CE 26:130.01 – Avaliação biológica e clínica de produtos para saúde do ABNT CB 26 - Comitê Brasileiro Odonto-Médico-Hospitalar.

Ementa

  • Bases regulatórias para a avaliação clínica;
  • Orientações sobre avaliação clínica;
  • Bases para a proposta de norma sobre avaliação clínica;
  • O processo de avaliação clínica segundo a norma.